Bem vindo

Sê bem-vindo e divirta-se, porque a vida é importante para ser compartilhada!

domingo, 9 de setembro de 2012

Meiose: por que, pra quê e como?

Continuando o pedido de explicações para prova da minha filhota, agora explico a MEIOSE.
Meiose é também um processo de multiplicação celular, mas enquanto na Mitose o número cromossômico é constante ( 46) no caso da espécie humana, na Meiose, o número cromossômico é dividido ao MEIO logo, as células filhas têm 23 cromossomos cada uma....Então, a primeira diferença entre os dois processos é o tipo de célula que origina: no caso da meiose, vai originar gametas - espermatozóides e ovócitos!
Afinal, a espécie humana se caracteriza pelo número cromossômico igual a 46 e como um novo indivíduo resulta do encontro entre um espermatozóide (23) e um ovócito (23), os bebês possuem 46 cromossomos!
Bem, para produzir células com a metade do número cromossômico, a Meiose faz duas vezes a sequencia de etapas da Mitose:
Outra diferença: a Mitose faz uma sequência de etapas - Prófase, Metáfase, Anáfase e Telófase - e a Meiose faz duas: Meiose I -Prófase I, MetáfaseI, Anáfase I e Telófase I- e Meiose II - PrófaseII, Metáfase II, Anáfase II e Telófase II.
Nessas etapas acontecem os mesmos fenômenos já descritos no post da mitose. O importante e que garante o número final dos cromossomos é a PrófaseI por que nela ocorrem as subetapas: LE- ZI - PA - DI - DI. Podemos comparar as subetapas a um encontro na balada:

LEptoteno ( LEPTO = fino)- é aquela hora que os cromossomos estão se arrumando, vão tomando banho, fazendo chapinha.... ficando lindinhos e "chupando a barriga" na frente do espelho; se arrumam para sair e caçar.....
ZIgoteno ( ZIGO = par) - os cromossomos chegaram na balada, e encontraram seu par...
PAquiteno (PAQUI= grosso) O casalzinho fica grosso, enrolado, se escondendo dos observadores, são quase "dois em um".
DIploteno (DIPLO=duplo) Os dois cromossomos resolvem empernar... cruzam suas pernas, cruzam seus braços... trocam material genético. Serinho, nessa etapa podemos visualizar (ao microscópio claro e se tivermos muiiiita sorte) os quiasmas, pontos de cruzamento das cromátides....
DIacinese (CINESE = movimento) Cada cromossomo vai embora pra casa, já é de manhã e o casal se separa, mas.... nesse caso cada um leva de lembrança um pequeno pedaço do outro...
As demais etapas ocorrem com as mesmas características já descritas para a Mitose, contudo, as células que resultam ao final possuem conteúdos cromossômicos diferentes entre si e em relação à celula que as originou.
Essa balada cromossômica garante a grande diversidade de características entre os seres vivos, por isso os irmãos, mesmo tendo o mesmo pai e a mesma mãe podem ser tão diferentes!
Ah, na Prófase ( tanto da Mitose quanto da Meiose) a carioteca se desfaz pois fica difícil fazer toda essa dança de cromossomos no espaço limitado do núcleo. A carioteca só aparece na Anáfase....
Acho que é isso por esse feriado, espero que ajude o pessoal na prova de segunda e fico aguardando novas solicitações de aula de biologia . Beijos!
 

sábado, 8 de setembro de 2012

Mitose: por que, pra quê e como?

Os processos de divisão celular são duas incógnitas no Ensino Médio... e por isso, minha filhota me encomendou esse post, tem prova na segunda sobre o tema, vou tentar resumir de forma compreensível:
 Pra começar, são chamados de processos de divisão celular, mas, o que se divide é o citoplasma e as organelas celulares, para dar origem a novas células. O DNA do núcleo não divide, multiplica, afinal, as novas células devem conservar o mesmo material genético da célula original.
Imagine que você tomou aquele primeiro "queimaço" do ano: sua pele ficou vermelha como um chiclet de morango: primeiro arde e dói - as células estão dando o "último suspiro", morreram e estão avisando seu corpo disso; depois, começa a coçar e se formam bolhas- as células, num trabalho extremo, duplicam o DNA para garantir a manutenção das características celulares, essa estratégia precisa de energia e a água é um dos produtos dele; por último, as novas células começam a se formar e substituem o tecido morto, que descasca porque foi solto pelas bolhas de água.... 
Esse é o objetivo da Mitose: repor novas células sempre que o corpo necessita ou produzir todas as células que vão dar origem às células de um novo indivíduo.
O esquema abaixo é uma foto explicativa do processo tirada no MCT- PUCRS:
 Mostra o esquema de duplicação de DNA e as etapas de formação de novas células.
Tem quatro etapas:
Prófase - "pró" quer dizer vai começar... é a etapa em que a célula está pronta pra começar a divisão, o material genético está duplicado, o centríolo ( na célula animal) também e a parede celular ( na célula vegetal) forma pequenas vesículas na região central da célula original.
Metáfase - "meta" vem de meio-metade.... pra organizar a bagunça, os cromossomos se colocam na região medial da célula - equador (sabe, essa mesma, aquela linha imaginária que divide o Planeta em dois hemisférios). Enfileiradinhos, para a par, agora o centríolo começa a emitir "fios" que se ligam aos centrômeros e preparam para levar cada par para cada polo oposto da célula.
Anafáse - Nesse momento, os cromossomos são puxados para os polos, os centríolos começam a diminuir os prolongamentos ( fios) e cada polo fica com um conjunto de 46 cromossomos iguais.
Telófase- "telo" é separar.... o citoplasma se divide, e as novas células estão prontas para completar o tecido animal.
 Como a célula vegetal não tem centríolo, quem faz o papel do centríolo nesse caso é a parede celular, mas tudo acontece mais ou menos da mesma forma e as novas células formarão novos tecidos.
Em seguida, posto sobre a Meiose, afinal, esse post aqui ficaria imenso, chato e um porre, se eu colocasse as duas por aqui.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Por que os politicos insistem em meter sua colher na Educação?

         Mais um ano eleitoral e como de costume, os políticos começaram a "inventar" pra cima da Educação.  Dessa vez, somos alvo das "cotas", da pesudorredução de disciplinas do Ensino Médio ou da inexistência de férias para a Educação Infantil....
         Em busca de votos, esses indivíduos que se travestem de "representantes do povo" reforçam suas ideias malucas sobre "educação de qualidade"!
         Vamos passo a passo desvendar a origem desses retalhos que acabam constituindo uma "colcha nada bonita de terrorismo educacional":
          Cotas - antes de qualquer coisa quero deixar claro que sou ferrenha defensora da diversidade, pluridade cultural e correlatos, a ponto desse tema, os preconceitos e os estereótipos que acompanham os diversos povos se tornarem objeto de estudo da minha dissertação de mestrado.
          Contudo, cotas são um remendo mal costurado nessa loucura que é nossa política educacional, ao invés de investir em capacitação dos educadores, de garantir o direito de buscarem as qualificações com as quais se identificam, fornecendo ao Professor tempo e subsídios financeiros para efetivar essa busca; ou ainda, equipar as escolas com material didático-tecnológico adequado, o governo em sua eterna polítca paterno-assistencialista, resolve mal tapar o rombo lá no final reservando cotas para os alunos da escola pública - em síntese assume a completa incapacidade de suas instituições educacionais minimizando a ação de seus profissionais. Numa concepção de: o ensino público é fraco, despreparado e não há mais nada a fazer!
           Redução de disciplinas do Ensino Médio a quatro áreas - Como todas as iniciativas legais, esse recurso até tem boas intenções, prevê um enfoque similar para todas as disciplinas, diverso da corrente supremacia da Língua Portuguesa e da  Matemática sobre as demais disciplinas. Até tenho um pouco de sorte, sou professora de Biologia e por seu caráter científico, essa disciplina ainda tem um pouco de consideração nos meios escolares. Ainda que já tenha ouvido de alguns pais: " O quê, meu filho tirou nota vermelha em ciências, mas é só decorar o livro!"
         Tenho pena dos colegas de Artes, Religião, Educação Física e afins que, nos conselhos de classe são bombardeados de todos os lados porque: " Ai, o fulaninho é tão bom em Matemática, vai reprovar só porque não entregou uns trabalhinhos de Artes!"
          Essa medida também busca forçar o efetivo enfoque interdisciplinar dos compenentes curriculares, outro ponto de muito interesse meu como educadora e supervisora!
          Mas, para os que se assustaram com a "novidade" aviso que ela existe desde 1995, quando foram publicados os PCNs que foram publicados em livros separados segundo as áreas de conhecimento. Aos que acham que sou a favor, comunico: estão redondamente enganados, sou a favor das concepções de que nenhuma disciplina é superior às demais e de que o ensino interdisplinar promove uma aprendizagem rica e significativa (quando publicar minha dissertação, vocês confirmarão meu ponto de vista com os resultados da minha pesquisa).
          Mudanças exigem investimentos, os professores precisam acreditar nesses pressupostos teóricos para levarem à prática, não de textos cansativos, cheios de "pedagogiquês" e impostos sumariamente por meio de uma legislação incoerente com a realidade. Capacitação adequada é novamente a resposta para resolver esse problema.
           Inexistência de férias para a Educação Infantil - Professor NÃO é vagabundo, trabalha e muito! E a Educação Infantil é um nível de ensino como o Ensino Fundamental ou Médio, tem objetivos pedagógicos e visa a aprendizagem das crianças na primeira infância. Deixou de ser creche há mais de 15 anos, quando passou a ser responsabilidade das Secretarias de Educação, e não de Saúde; ou seja, é educação e não assistencialismo!
           Agora, para que os pais possam ter onde "deixar seus filhos" enquanto trabalham, as escolas de Educação Infantil deverão funcionar  ininterruptamente.
            O texto está longo e provavelmente muitos dos leitores já cansaram de ler até aqui, mas o fato é que, se a moda é fazer leis porque esses egrégios brasileiros não dirigem sua mira para a legislação trabalhista ( reduzindo a carga horária de trabalho para que os pais não precisem deixar seus filhos de seis meses 12 horas dentro de uma escola), ou para a legislação fiscal para que as empresas "que tiram o couro do trabalhor" sonegem menos impostos garantindo fluxo de caixa para aumentar o salário dos professores?
             Ou, se a moda é copiar modelos educacionais, porque não copiam o modelo americano onde o aluno entra na Universidade pela análise da qualidade do seu histórico escolar? Ou ainda, o japonês, afinal, os japoneses são famosos por sua inteligência formal.... e pelo seu respeito ao professor!
            Não, o Brasil é um país em desenvolvimento, a caminho do primeiro mundo e precisa consumir, além disso mexer com os empresários é mexer num vespeiro muito grande!... É mais fácil buscar votos  através da Educação, a escola passa a ser a casa dos  filhos, os professores a referência cognitiva e afetiva e nós vamos costurando mais remendos nessa colcha e desviando o dinheiro que é devido à Educação!
             Ainda tenho muita coisa entalada na garganta, semana que vem, falo do IDEB e do Governo do Rio do Sul.........
            

terça-feira, 10 de julho de 2012

Um dia você fez uma lesma derreter com sal?





        

      Pois é, além de ser uma ação terrivelmente maldosa, é um exemplo de uma das propriedades coligativas das soluções... mas, por que a Cleise, bióloga, professora, resolveu agora falar de química????? Não pessoal, o mestrado não me deixou tão louca assim, esse é um post-encomenda... 
          Minha filhota me perguntou outro dia, indo para uma aula de química: Mãe, você sabe o que são propriedades coligativas? Minha professora disse que a Biologia usa muito.
        Poker face, poker face, poker face, lampadinha na cabeça: Já ouvi falar num passado distante, pode me
 dar mais informações?
     
  Uma tal de osmose!?
         Mamãe não sabe tudo mas que tenta, ah, isso tenta. Desfiei um monte de exemplos de osmose na Biologia, enveredei pelas explicações a respeito de difusão simples, difusão facilitada, diapedese e todos os processos de transporte intermembranas. Os exemplos dela fizeram tanto sucesso na aula de química, com os colegas (diga-se de passagem) que está rendendo esse post:
        Pois bem, lá vai: pelo nome, propriedades coligativas devem ter a ver com alguma coisa de ligação.... SIM, gente esperta!
         As propriedades coligativas atuam interferindo nas ligações entre elementos de um solvente modificando os pontos de ebulição (efeito ebulioscópico), pressão do vapor (efeito tonoscópio), ponto de congelamento ( efeito crioscópio) e pressão osmótica (efeito osmoscópio).
         Quando acrescentamos um soluto não-volátil (ponto de ebulição maior que o do solvente) a um solvente ele modifica suas ligações pois os íons livres do soluto se ligam com os elementos que o compõem.
          Traduzindo: a água é o solvente universal e seus elementos: H e O se ligam por pontes de hidrogênio, ligações não muito fortes, então, os íons do soluto provocam novas ligações entre todos os elementos que fazem parte da solução....
            Exemplos: ebulioscópio - a água salgada demora mais a ferver.
                            crioscópio - a água salgada demora mais a congelar.
                            tonoscópio - a toalha molhada com água do mar demora mais a secar.
                   osmoscópio - a água da lesma sai de dentro dela para equilibrar sua concentração interna com a da meio, maior por causa do sal.
            Gosto mesmo é da osmose, ela explica porque a salada não pode ser temperada com antecendência, porque o pinhão ou o feijão ficam duros se salgados antes da fervura, porque a salada de frutas tem mais caldo se colocarmos açúcar, porque a cebola perde a acidez (e permanece crocante) se colocarmos bastante sal ou açúcar nela antes de temperar....
             Afinal, se a osmose é um fenômeno químico em que o soluto passa do meio menos concentrado ( hipotônico) para o mais concetrado (hipertônico) ficaria mais fácil estudar, era só colocar o livro aberto sobre a cabeça!


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Crianças pequenas no sangue!


Não tem jeito mesmo, eu tento, tento, tento e tento mais um pouquinho, mas não consigo me afastar dos pequeninos....
Há mais ou menos seis meses tirei uma licença da Educação Infantil, para me dedicar ao mestrado em Educação Científica, juro: eu queria mesmo.... trabalhar exclusivamente com os "grandes".
Ocorre que quando as contas não dão folga, a gente tem que procurar mais fontes de salário e o que eu fiz?
Fui na Secretaria de educação do município e pedi uma convocação, dentre várias turmas para escolher.... BINGO!
Peguei uma turma de alfabetização!
Agora, já pensando em atividades cujos temas geradores sejam vinculados à Educação Ambiental, jogos, brincadeiras e muiiita diversão, busco a internet para me auxiliar a ordenar as ideias, alguns blogs já estou seguindo:http://profsandrapedagogainfantil.blogspot.com/http://tatiana-alfabetizacao.blogspot.com/http://amigasdaedu.blogspot.com/ e
Já pensando em quais atividades podem ser adaptadas a jogos para não me render aos terríveis xerox, vou navegando e enchendo meu cérebro de ideias....
Sem dúvida, tenho um problema muito sério em me desvencilhar da convivência com os pequenos... eu macaca velha: supervisora, professora de Ciências, Bióloga... e há mais de vinte e cinco anos viciada naquele olhar maravilhoso dos pequenos, naquela sensação divina de quase "poder tocar" a aprendizagem!
Quem nunca trabalhou com pequeninos nem imagina que sensação perfeita é essa, e com certeza, meu sangue só pode estar contaminado por esses pequeninos seres que me fazem tão feliz!
Em breve, conto mais novidades sobre esse desafio que me encanta.